sábado, 9 de julho de 2016

Injustiçado e perseguido.

 O iminente deputado Eduardo Cunha (PMDB), no seu pronunciamento renunciando à presidência da câmara federal. Julgou-se perseguido e vitima do governo criminoso do (PT). Até aí nada de anormal se o mesmo não fosse um dos organizadores deste maléfico esquema de corrupção que saquearam os cofres públicos durante longos anos. Porém, Eduardo Cunha foi vitima da sua própria e insaciável ganancia humana, para piorar esse descalabro pessoal, ainda por cima envolveu sua amada família. E segura o chororô!                    

Nenhum comentário: