terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Crises.

Os municípios potiguares, principalmente os do semiárido, iniciaram o ano administrativo de 2016, gerenciando duas crises, uma financeira e outra hídrica. Todavia, para piorar essas demandas sociais, existem muitas gestões públicas municipais, terminado sem começar administrar, sem demonstrar socialmente para veio. Todavia, são gestões recheadas de inércias, incompetências e principalmente falta de vontade pública, para servir socialmente ao seu povo. Entretanto, os gestores públicos deste famigerado nível, só ficam pensando nas cotas do (FPM) nos dias 10,20 e 30. Como se um mês tivesse apenas três dias, para ambos visitarem as prefeituras.    


Nenhum comentário: