quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Seis por meia dúzia.


Muitas rivalidades e brigas politicas nos grotões brasileiros, acontecem pelo sonhado emprego público, ou seja, “emprego temporário”, comissionado ou contratado. No entanto, neste período de crise financeira nas falidas gestões públicas municipais, onde esses citados servidores são ao mais afetados, ficando sem receber seus salários. Todavia, neste dilema administrativo, trabalhar sem receber, é o mesmo de trocar seis por meia dúzia.  Nota do blog. Na Região Central têm servidores municipais contratados, que já faz quatro meses que não vê a cor do dinheiro. Passando a ficar desempregado mesmo empregado.  

Nenhum comentário: