quinta-feira, 9 de julho de 2015

Por mais que queiram não vão conseguir

Talvez muitos não lembrem, mas a grande maioria política que hoje quer derrubar
a presidenta DILMA, são os mesmos que a pouco tempo LAMBIAM AS BOTAS  DO MILITARES E DAVAM SUSTENTAÇÃO A FAMIGERADA E CORRUPTA DITADURA MILITAR.

Lutamos muito para conseguirmos a REDEMOCRATIZAÇÃO DO BRASIL e não vamos deixar que este CALHORDAS tente derrubar a presidenta pelo grito.

IREMOS AS RUAS PARA DEFENDER A DEMOCRACIA E A PRESIDENTA DILMA.
QUE POR SINAL:
NUNCA SE CURVOU A NADA E NUNCA LAMBEU AS BOTAS DOS DITADORES.
 
Genival Erminio <genivalerminio@gmail.com>

Um comentário:

Eudes Mariano O Jacozinho de Dona Alaide disse...

Êita Kbssa, agora danou-se!

Nem mesmo os mais pessimistas imaginariam que a situação ficasse tão ruim, contudo, os números desmontam o discurso, senão observe... o empate técnico entre a POPULARIDADE da Presidenta e a INFLAÇÃO (9%) não é uma verdade absoluta com certeza, até porque eles podem mudar, ou seja, a dela como rabo de cavalo – crescendo pra baixo – e o indicador econômico como foguete – indo as alturas – o que me faz questionar: afinal o que chegará a 5 primeiro: a aprovação da Madame, a gasolina, as ações da Petrobras ou o dólar???

Companheiro de copo e cruz; mas o que me angustia é não saber qual o desfecho desta crise, já que o enigma maior é ter certeza que nascerá uma terceira via a La “Golpe paraguaio”, isto é, causando saudades do equilíbrio político que se dava na polarização entre PTB e UDN com mediação do PSD no período democrático, o bipartidarismo da Arena e do MDB na ditadura, e até do outsider Collor no fracasso do governo Sarney.

Enfim, caríssimo proletário de S. Antonio e Srª Josefa (Dona Moça); acho muito difícil a eclosão das manifestações de rua ratificarem um espaço de caciquismo estéril – sem ideias nem propostas – posto que de fato haverá sim uma solução para este impasse, pois não existe vácuo de poder, entretanto é bom notar que os recursos do clientelismo e da troca de favores têm a função de compensar a dificuldade de legitimação dos partidos, quer dizer: o Centrão de antigamente governava sem ônus, todavia o de hoje, apenas com o bônus, e atende pelo nome de Partido Muito Dinheiro no Bolso.

Só pra lembrá-lo: Temer não é verbo, mas assusta, principalmente quando tem afinidades com um cara que “Alcunha” tudo em votação até ganhar, e sem ter que gritar, e com o apoio de outro que vem a Calhar.

Meu amigo Genival, por favor Buarque-se! O Zepelin mudou, mas as Geni podem ser a mesmas.

Abraços fraternais e saudações Sanromas.