sexta-feira, 17 de julho de 2015

Liga Contra o Câncer completa 66 anos nesta sexta-feira

A Liga Norte Riograndense Contra o Câncer, referência em tratamento do câncer no Rio Grande do Norte e no Nordeste, completa 66 anos nesta sexta-feira. Fundada em 17 de julho de 1949, passou de uma simples casa de recolhimento de cancerosos para se tornar um Centro de Alta Complexidade em Oncologia (CACON), de acordo com a classificação do Ministério da Saúde. A instituição hoje é formada por cinco unidades, sendo uma de apoio humanitário: o Centro Avançado de Oncologia (CECAN), Hospital Dr. Luiz Antônio, Policlínica, Hospital de Oncologia do Seridó (em Caicó) e a Casa de Apoio Irmã Gabriela.

Reconhecida pela democratização do acesso à oncologia de ponta, atingindo quase 70% de volume de serviços destinados a pacientes do SUS, a Liga Contra o Câncer vem hoje rompendo fronteiras e conseguindo conjugar excelência com filantropia.

A Instituição comemora seu aniversário com um nível de excelência raro para uma filantrópica, além de ter conseguido dar conta do crescimento da demanda. Só nos últimos três anos aumentou o número mensal de procedimentos realizados em cerca de 20%. Em 2014 foram detectados 4.805 novos casos de câncer. Em termos de atendimentos especializados o volume foi bem significativo no ano anterior: mais de 210 mil aplicações de radioterapia, 41 mil ciclos de quimioterapia e mais de 12 mil cirurgias.

Mas a Liga vai muito além do tratamento. Sua complexa e ampla estrutura de atendimento vai desde consultas médicas e com especialistas das mais diversas áreas da saúde, a terapias de reabilitação, incluindo sofisticados serviços de diagnóstico em todas as áreas, com destaque para o núcleo de imagem. Sua amplitude de ação também é marcada pelo fato de atender pacientes de todo o estado e até de estados vizinhos.

NOVO HOSPITAL

Mesmo em meio às dificuldades, a Liga Contra o Câncer elegeu como prioridade a viabilização da construção do seu novo campus ambulatório e hospitalar. Com sua capacidade de atendimento perigosamente perto do limite e preocupada em atender o vertiginoso aumento da demanda, a instituição está em sinal de alerta: “a construção do novo Hospital da Liga é imprescindível para se evitar que em poucos anos a atenção oncológica entre em colapso no nosso estado. O câncer é uma doença de idoso e nossa população está envelhecendo a passos largos. Precisamos avançar na mesma medida. Já possuímos a área física, o projeto está pronto, o que necessitamos agora é do apoio financeiro dos dirigentes de nosso estado e da classe empresarial”, alerta o superintendente da Liga, Ricardo Curioso.

Mesmo sendo uma instituição de direito privado, o trabalho da Liga Norte Riograndense Contra o Câncer é um bem público e segue com a missão de oferecer atenção oncológica de alto nível a todas as camadas da população. “O compromisso social é o emblema que a instituição carrega desde sua fundação, e mesmo diante de todas as dificuldades, chegamos aos 65 anos com motivos para comemorar. Acredito que estamos conseguindo manter nosso compromisso com a qualidade dos serviços que oferecemos e somos a prova de que filantropia não é sinônimo de precariedade”, afirma Curioso.

Nenhum comentário: