quinta-feira, 18 de junho de 2015

Produtores Agrícolas do RN pedem apoio à bancada federal do RN para combater problemas relacionados à seca 
 Representantes da Associação do Distrito de Irrigação do Baixo Açu (DIBA) e produtores agrícolas do Rio Grande do Norte visitaram nesta quarta-feira (17) gabinetes de deputados e senadores do estado para pedir apoio no combate à seca na região. O grupo solicita, em caráter emergencial, a viabilização de um projeto de perfuração de poços para amenizar os efeitos da estiagem.
Segundo o presidente do Conselho de Administração da DIBA, Guilherme Saldanha, o Projeto de Irrigação Oswaldo Amorim – Baixo Açu, considerado o maior projeto de irrigação do RN – passa por um período de escassez hídrica e os produtores de cana estão racionalizando o uso da água, o que tem afetado a produção. 
De acordo com Saldanha, o período de estiagem tem colocado em risco o emprego de mais de 3,5 mil pessoas e o fornecimento de água para mais de 350 famílias que vivem no Vale do Açu – uma das regiões mais produtivas do RN. “Nós queremos o apoio da bancada porque é preciso investir em uma estrutura que possa garantir a produção independente dos períodos de estiagem para evitar o desemprego de centenas de trabalhadores”, alertou.
 Uma das principais vozes da oposição no Congresso por soluções imediatas para a seca no Nordeste, o senador José Agripino se comprometeu a ajudar os produtores. “Diversas vezes ocupei a tribuna do Senado, e o farei quantas vezes forem necessárias, para exigir soluções por parte do governo federal para a seca do Nordeste. Em 12 anos de governo PT, promessas foram feitas, entre elas a transposição do Rio São Francisco, e até agora nada foi feito. Eu reafirmo que dessa luta não vou me apartar”, ressaltou Agripino que recebeu o grupo em seu gabinete.  
Já o coordenador da bancada federal do RN, deputado Felipe Maia, destacou a necessidade do poder Executivo priorizar o assunto. “A crise hídrica no Rio Grande do Norte é um dos temas que mais preocupam a bancada federal no momento. Estamos nos reunindo para buscar alternativas, mas é preciso que o Executivo priorize o tema. É fundamental encontrar soluções para ajudar o setor produtivo de maneira a evitar que famílias inteiras sejam penalizadas pela falta de ação efetiva dos governos em todas as esferas”, disse Felipe.

Nenhum comentário: